Entretenimento

Documentário de John Legend ‘glad’ Surviving R. Kelly ajudou a levar a novas acusações

John Legend duvida que os promotores teriam iniciado investigações criminais sobre as décadas de abuso sexual de R. Kelly, se não fosse pela transmissão dos documentários da sobrevivente de R. Kelly.

A cantora I Believe I Can Fly se declarou inocente de 10 acusações de abuso sexual por agredir supostamente quatro vítimas, três das quais menores de idade, durante encontros entre 1998 e 2010.

Ele foi preso na sexta-feira (22 de fevereiro de 1919) e passou o fim de semana atrás das grades, antes de levantar US $ 100 mil para sair de uma prisão de Chicago, Illinois, na segunda-feira.

O caso criminal foi apresentado por promotores semanas após a estréia da série Surviving R. Kelly, que detalhou anos de acusações de má conduta sexual feitas contra o músico.

John foi uma das maiores celebridades a falar dos rumores sobre o suposto comportamento ruim de Kelly diante do projeto do produtor Dream Hampton, e está feliz que as autoridades estejam ajudando as supostas vítimas a buscar justiça.

“Estou tão feliz que o documentário foi feito”, disse ele no programa de café da manhã dos EUA Today. “Estou tão feliz que as vítimas tenham suas vozes ouvidas, e eu acho que elas tiveram suas vozes ouvidas, esta história sendo contada, porque já foi contada antes, mas acho que ser recontada através desse meio realmente trouxe a questão para um muita atenção das pessoas, e eu acho que inspirou as forças da lei a seguir em frente em algumas coisas que elas não estavam se movendo antes. “

Legend, que uma vez recusou uma música do veterano R & B por causa das alegações, passou a chamar as contagens criminais muito atrasadas.

“Acho que já faz muito tempo”, ele compartilhou. “Eu acho que muitos de nós toleramos ou olhamos para o outro lado nessa questão por um longo tempo, e muitas pessoas foram feridas por décadas, e nós olhamos para longe por muito tempo”.

Quanto ao que ele acha que deveria acontecer com Kelly, John acrescentou: “Acho que vamos fazer justiça. Obviamente, é difícil provar qualquer coisa além de uma dúvida razoável no tribunal, então vamos ver o que acontece, mas acho que suas vítimas merecem justiça.”

O hitmaker de “All of Me” já havia contraído espectadores que o aclamavam valente por participar de Surviving R. Kelly, depois que vários de seus pares, incluindo JAY-Z, Lady Gaga e Mary J. Blige, se recusaram a participar.

“Para todos me dizendo como eu sou corajoso por aparecer no documentário, não me senti arriscado”, postou John no Twitter após a transmissão. “Eu acredito nessas mulheres e não dou a mínima para proteger um estuprador infantil em série. Decisão fácil.”

Kelly, que deve voltar ao tribunal em 22 de março (19), pode pegar até 70 anos de prisão se for considerado culpado.

O jovem de 52 anos foi anteriormente absolvido de pornografia infantil em 2008.

Deixe uma resposta