Conecte-se conosco

Entretenimento

Por que fãs dizem que Demi Lovato deu sinais de que não estava bem em música recente

Published

on

Artista americana, que em março havia completado seis anos sóbria, foi internada nesta semana com suposta overdose.

Desde que foi divulgado, na terça-feira (24), que a cantora americana Demi Lovato foi internada em um hospital de Los Angeles por uma suposta overdose, seus fãs não pararam de falar sobre uma de suas músicas mais recentes: “Sober” (“Sóbria”, em tradução livre).

A composição foi lançada no fim de junho deste ano e, aparentemente, confirmou um dos maiores temores dos fãs da artista: de que ela havia tido uma recaída e voltado a consumir álcool.

Lovato ficou famosa depois de estrelar o filme adolescente Camp Rock, da Disney Channel, ao lado da extinta banda de música pop Jonas Brothers.

A cantora de 25 anos tem transtorno bipolar e travou uma longa batalha contra a bulimia, a tendência à automutilação e a dependência de álcool e drogas, problemas sobre os quais ela falou, no ano passado, no documentário Simply Complicated (“Simplemente Complicada”,em tradução livre).

Em março deste ano, ela completou seis anos sóbria, segundo ela mesma publicou no Twitter. Disse ainda que estava “grata por mais um ano de alegria, saúde e felicidade” e que abandonar o vício “é possível”.

No mês seguinte, no entanto, amigos de Lovato postaram uma foto dela no Instagram segurando um copo com um líquido amarelo dentro, o que desencadeou rumores de que a cantora havia voltado a beber.

A artista argumentou que estava tomando um energético, mas quando a música “Sober” foi lançada, muitos fãs viram na letra a confirmação de suas suspeitas.

O refrão diz: “Mamãe, me desculpe, não estou mais sóbria. E papai, por favor, me perdoe pelas bebidas derramadas no chão. Àqueles que nunca me deixaram, nós já passamos por essa estrada antes. Eu sinto muito, não estou mais sóbria.”

Muitos veículos de comunicação publicaram que “Sober” era a confissão de Lovato sobre sua recaída, embora a cantora não tenha se pronunciado a respeito.

A artista cancelou vários shows na América Latina e na Europa nos últimos meses, alegando problemas na produção e de saúde. Ela ainda estava em turnê quando foi internada. Nesta quinta-feira (26), ela se apresentaria em Atlantic City, nos EUA.

A dependência de Lovato se tornou pública em 2010, quando ela estava em turnê com os Jonas Brothers na América do Sul. Suas participações foram canceladas e a cantora foi internada em uma clínica de reabilitação após agredir uma de suas dançarinas.

Nos últimos anos, a artista falou abertamente sobre o problema – ela acreditava que sua experiência poderia ajudar outras pessoas que passam pela mesma situação. E sabia da influência que pode ter sobre seus seguidores, o que também se refletiu na letra de “Sober”:

“Sinto muito pelos fãs que perdi, que me viram cair novamente. Eu quero ser um exemplo, mas sou apenas humana.”

À medida que a notícia da internação se espalhou, fãs e celebridades manifestaram apoio à cantora nas redes sociais. Poucas horas depois, milhares de pessoas já haviam tuitado com a hashtag #PrayforDemi (“Reze por Demi”, em tradução livre).

Lovato está internada no hospital Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles. E, segundo um porta-voz da família, está consciente.

“Demi está acordada e com a família, que quer expressar sua gratidão a todos pelo amor, pelas preces e pelo apoio”, afirmou.

“Algumas informações divulgadas estão incorretas, e eles respeitosamente pedem privacidade.”

O Departamento de Polícia de Los Angeles afirmou que atendeu, na terça-feira, a uma emergência médica em Hollywood Hills, onde a cantora mora. Ela foi encontrada inconsciente e teria sido medicada no local com naloxona, droga usada como um antídoto para opiáceos, incluindo analgésicos.

Não está claro que tipo de droga Lovato usou. Inicialmente, foi divulgado que era heroína, mas a informação foi posteriormente contestada.

Demi Lovato se apresenta durante o Teen Choice Awards 2013 (Foto: Kevin Winter/Getty Images/AFP )

Demi Lovato se apresenta durante o Teen Choice Awards 2013 (Foto: Kevin Winter/Getty Images/AFP )

Com informações BBC – G1

Continue lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Gustavo Lima investe na música inédita ‘O ex da sua vida’ para terminar o álbum de repertório romântico

Published

on

Foto: Divulgação

♪ Após o primeiro volume do álbum O embaixador falando de amor, apresentado em 10 de junho com 6 músicas, Gustavo Lima lança a segunda e última parte do álbum gravado no estúdio Balada, em Goiânia (GO).

Em rotação nos aplicativos de música desde quinta-feira, 1º de julho, o disco O embaixador falando de amor vol. 2 acrescenta sete canções ao repertório romântico. O foco de marketing da gravadora Sony Music – parceira do selo Balada Music na edição do álbum – atualmente recai sobre O ex da sua vida, faixa em que o cantor mineiro dá voz à composição inédita de Adryel Lima.

O resto do repertório deste segundo volume é composto por regravações de outros artistas? sucessos, como Va a ser (Cláudio Rabello e Franco Atílio), Se não tivesse ido (Marco Antonio Solís Sosa e Bruno), Os corações não são iguais (Augusto César, Miguel Plopschi e Paulo Sergio Valle), Quando um enorme amor se faz (Cantare è d’amore, Amedeo Minghi, na versão em português de César Augusto e Duchesca), e Você mudou (Fazendo amor do nada, Jim Steinman, na versão em português de Boiadeiro e Sandro Lemes).

Para aqueles que não sabem o nome da canção, Making love out of nothing at all é uma balada lançada em 1983 pelo duo australiano Air Supply.

Fonte: BLOG DO MAURO FERREIRA/G1.globo.com

Continue lendo

Entretenimento

Virtudão lança nova música que conta uma história de amor a distancia

Published

on

A música “Menos de 1 km”, um pagodinho clássico, cheio de romantismo e história de amor .

O grupo de pagode Virtudão lançou nesta quinta-feira (13) o primeiro single sete meses depois de apostar em uma mulher como nova vocalista da banda. Leticia Moura e Everton Martins lançaram a música “Menos de 1 km”, um pagodinho clássico, cheio de romantismo e história de amor que pode ser conferido em todas as plataformas digitais e no youtube.

“Nosso primeiro single do EP foi um sambinha mais dançante, agora apostamos nessa pegada mais clássica. A verdade, é que amamos esse pagode mais romântico, e tenho certeza que o publico vai gostar também”, explicou Everton.

Essa é a segunda canção do EP gravado em São Paulo. Ao todo foram três músicas produzidas por Jr Nikkimba, Michel Fujiwara, Cláudio Bonfim, Kadu Silva, Jacques Batera e Ronald Marcondes. Os profissionais tem carreiras consolidadas e trabalham com grandes nomes do pagode como Dilsinho, Alexandre Pires, Thiaguinho, Jeito Moleque, entre outros.

A banda surgiu, mas só em 2011 após uma breve separação o Virtudão uniu mais uma vez Andrey Nogueira e Everton Martins, em nova formação. O encontro rendeu vários projetos musicais, como o Virtudão VIP e o Quintal do Virtudão.

Com shows animados e dançantes, o Virtudão leva os clássicos do pagode para o palco, mas as músicas atuais também, em novas roupagens no ritmo.

Fonte: G1 Pa — Belém

Continue lendo

Entretenimento

Lobão adiciona música de Rita Lee ao álbum ‘Canções de quarentena’

Published

on

♪ Lobão decidiu incluir uma segunda música de Rita Lee no repertório do álbum Canções de quarentena. Como o artista revelou em rede social, o cantor vai gravar Ando jururu, composição apresentada pela autora há 47 anos no álbum Atrás do porto tem uma cidade (1974), gravado por Rita com o grupo Tutti Frutti.

Além de Ando jururu, Lobão também selecionou Balada do louco (Arnaldo Baptista e Rita Lee, 1972) – música do repertório do grupo Os Mutantes – para o álbum.

Gravado desde o primeiro semestre de 2020 com produção orquestrada solitariamente por Lobão (inicialmente no Rio de Janeiro e, desde dezembro, em São Paulo), o disco Canções de quarentena reúne registros inéditos de músicas da década de 1970 que reverberam na memória afetiva de Lobão.

Ainda inédito, o álbum já gerou seis singles, sendo que o último, Canalha, foi lançado em 29 de janeiro deste ano de 2021 com regravação do rock do compositor Walter Franco (1945 – 2019), apresentado pelo autor em 1979 em festival promovido pela TV Tupi.

O trem azul (Lô Borges e Ronaldo Bastos, 1972), BR-3 (Antonio Adolfo e Tibério Gaspar, 1970), Canteiros (Fagner sobre poema de Cecília Meirelles, 1973), Pedaço de mim (Chico Buarque, 1978) e Eu quero é botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio, 1972) foram, pela ordem, os cinco singles anteriores do álbum.

O sétimo e ainda inédito single deverá ser Retalhos de cetim, samba de 1973 que se tornou o primeiro grande sucesso do cantor e compositor Benito Di Paula.

♪ Eis outras músicas já gravadas por Lobão para o álbum Canções de quarentena, mas ainda inéditas:

♪ Azul da cor do mar (Tim Maia, 1970)

♪ Na hora do almoço (Belchior, 1971)

♪ Tarde em Itapoã (Toquinho e Vinicius de Moraes, 1971)

♪ Balada do louco (Arnaldo Baptista e Rita Lee, 1972)

♪ Cais (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, 1972)

♪ Como vai você (Antonio Marcos e Mário Marcos, 1972)

♪ Hoje ainda é dia de rock (Zé Rodrix, 1972)

♪ Pérola negra (Luiz Melodia, 1971)

♪ Retalhos de cetim (Benito Di Paula, 1973)

♪ Os alquimistas estão chegando os alquimistas (Jorge Ben Jor, 1974)

Fonte: Mauro Ferreira g1.globo.com

Continue lendo
Publicidade

MAIS LIDAS

Enable Notifications    OK No thanks