Conecte-se conosco

Entretenimento

Compositora de single de Zayn Malik lembra 1º contato com música, em Manaus: ‘Cresci no Teatro AM’

Published

on

Iliana Nedialkova, da Bulgária, morou entre 1997 e 2003 na cidade, quando pais fizeram parte da Amazonas Filarmônica. Após ir do clássico ao pop, compositora agora quer trabalhar com Anitta.

Depois de um clipe dirigido pelo brasileiro José Padilha, o cantor Zayn Malik lançou uma nova produção que tem um pouco de, digamos, raízes brasileiras.

Isso porque o novo single do ex-One Direction, “Entertainer”, tem a assinatura da compositora búlgara Iliana Nedialkova. Mas, onde entra o Brasil nessa história? É que ela passou a infância em Manaus e foi em terras amazonenses que teve seu primeiro contato com a música.

Iliana conversou (em português) com o G1 alguns dias após o lançamento do clipe de “Entertainer”. O vídeo tem mais de 8 milhões de visualizações no YouTube.

Ela conta que essa é a primeira composição que emplaca com um popstar. A ponte foi feita por um amazonense: o engenheiro de gravação de Zayn, Henrique Andrade.

“Eu já vinha escrevendo e produzindo música com meu marido, Alexandre Bursztyn, há algum tempo. O Henrique apresentou nosso material e o Zayn gostou. Isso abriu as portas pra gente colaborar em ‘Entertainer'”, explica.

A musicista hoje mora em Los Angeles, mas foi em Manaus que a paixão pela música começou a florescer. Ela se mudou para a capital amazonense ainda criança. Morou na cidade por seis anos, de 1997 a 2003, quando os pais tocavam na Orquestra Amazonas Filarmônica.

“Foi onde aprendi a falar português, inglês, e onde comecei a tocar violino. Eu sempre tive uma conexão muito forte com a música, por ser a terceira geração de uma familia de músicos. Naquela época, minha mãe (violinista) e meu pai (oboísta) eram músicos da orquestra e eu assistia aos ensaios o tempo todo. Praticamente cresci dentro do Teatro Amazonas”, lembra.

Iliana posa no Teatro Amazonas, local onde seus pais fizeram várias apresentações com a Amazonas Filarmônica (Foto: Arquivo Pessoal)

Iliana posa no Teatro Amazonas, local onde seus pais fizeram várias apresentações com a Amazonas Filarmônica (Foto: Arquivo Pessoal)

Ao G1, Iliana diz que muitas das primeiras memórias que tem do Brasil são da época que morava em Manaus – depois da capital amazonense, ela também morou em Brasília (DF).

“Lembro da simpatia das pessoas, do melhor açaí do mundo, [da praia da] Ponta Negra, o calor, e o famoso cachorro quente, o ‘Kikão'”, lembra compositora.

“Outro dia tive que buscar a receita na internet para poder fazer aqui”, conta a compositora, que diz ainda não ter tido a oportunidade de voltar à cidade.

Da música clássica ao pop

E como uma jovem criada em meio à música clássica e violinista de formação acabou enveredando pela música pop?

“Eu toquei violino clássico durante 19 anos, mas sempre me identifiquei mais com a música popular, por ser mais ‘leve’, mais acessivel e interativa para um público maior”, explica.

“Senti muita vontade de deixar a criatividade fluir, me expressar com texto e melodias de voz, de criar algo novo para o mundo em vez de viver a vida aperfeiçoando a execução de composiçes ja existentes há muito tempo”, diz.

Sobre “Entertainer”, Iliana explica que a canção fala sobre “dor e relações não resolvidas”, mas prefere não dar mais detalhes para que cada ouvinte dê sua própria interpretação à letra. “Se eu falar demais vou quebrar essa magia”, resume.

E Iliana não quer parar em Zayn, não. A lista de colaboradores dos sonhos é extensa, e vai de Frank Ocean a Glen Hansard, passando por Adele. Sobra até espaço para uma popstar brasileira. “Seria bem legal escrever também com a Anitta algum dia”.

Com informações da Camila Henriques, G1 AM

Entretenimento

Gustavo Lima investe na música inédita ‘O ex da sua vida’ para terminar o álbum de repertório romântico

Published

on

Foto: Divulgação

♪ Após o primeiro volume do álbum O embaixador falando de amor, apresentado em 10 de junho com 6 músicas, Gustavo Lima lança a segunda e última parte do álbum gravado no estúdio Balada, em Goiânia (GO).

Em rotação nos aplicativos de música desde quinta-feira, 1º de julho, o disco O embaixador falando de amor vol. 2 acrescenta sete canções ao repertório romântico. O foco de marketing da gravadora Sony Music – parceira do selo Balada Music na edição do álbum – atualmente recai sobre O ex da sua vida, faixa em que o cantor mineiro dá voz à composição inédita de Adryel Lima.

O resto do repertório deste segundo volume é composto por regravações de outros artistas? sucessos, como Va a ser (Cláudio Rabello e Franco Atílio), Se não tivesse ido (Marco Antonio Solís Sosa e Bruno), Os corações não são iguais (Augusto César, Miguel Plopschi e Paulo Sergio Valle), Quando um enorme amor se faz (Cantare è d’amore, Amedeo Minghi, na versão em português de César Augusto e Duchesca), e Você mudou (Fazendo amor do nada, Jim Steinman, na versão em português de Boiadeiro e Sandro Lemes).

Para aqueles que não sabem o nome da canção, Making love out of nothing at all é uma balada lançada em 1983 pelo duo australiano Air Supply.

Fonte: BLOG DO MAURO FERREIRA/G1.globo.com

Continue lendo

Entretenimento

Virtudão lança nova música que conta uma história de amor a distancia

Published

on

A música “Menos de 1 km”, um pagodinho clássico, cheio de romantismo e história de amor .

O grupo de pagode Virtudão lançou nesta quinta-feira (13) o primeiro single sete meses depois de apostar em uma mulher como nova vocalista da banda. Leticia Moura e Everton Martins lançaram a música “Menos de 1 km”, um pagodinho clássico, cheio de romantismo e história de amor que pode ser conferido em todas as plataformas digitais e no youtube.

“Nosso primeiro single do EP foi um sambinha mais dançante, agora apostamos nessa pegada mais clássica. A verdade, é que amamos esse pagode mais romântico, e tenho certeza que o publico vai gostar também”, explicou Everton.

Essa é a segunda canção do EP gravado em São Paulo. Ao todo foram três músicas produzidas por Jr Nikkimba, Michel Fujiwara, Cláudio Bonfim, Kadu Silva, Jacques Batera e Ronald Marcondes. Os profissionais tem carreiras consolidadas e trabalham com grandes nomes do pagode como Dilsinho, Alexandre Pires, Thiaguinho, Jeito Moleque, entre outros.

A banda surgiu, mas só em 2011 após uma breve separação o Virtudão uniu mais uma vez Andrey Nogueira e Everton Martins, em nova formação. O encontro rendeu vários projetos musicais, como o Virtudão VIP e o Quintal do Virtudão.

Com shows animados e dançantes, o Virtudão leva os clássicos do pagode para o palco, mas as músicas atuais também, em novas roupagens no ritmo.

Fonte: G1 Pa — Belém

Continue lendo

Entretenimento

Lobão adiciona música de Rita Lee ao álbum ‘Canções de quarentena’

Published

on

♪ Lobão decidiu incluir uma segunda música de Rita Lee no repertório do álbum Canções de quarentena. Como o artista revelou em rede social, o cantor vai gravar Ando jururu, composição apresentada pela autora há 47 anos no álbum Atrás do porto tem uma cidade (1974), gravado por Rita com o grupo Tutti Frutti.

Além de Ando jururu, Lobão também selecionou Balada do louco (Arnaldo Baptista e Rita Lee, 1972) – música do repertório do grupo Os Mutantes – para o álbum.

Gravado desde o primeiro semestre de 2020 com produção orquestrada solitariamente por Lobão (inicialmente no Rio de Janeiro e, desde dezembro, em São Paulo), o disco Canções de quarentena reúne registros inéditos de músicas da década de 1970 que reverberam na memória afetiva de Lobão.

Ainda inédito, o álbum já gerou seis singles, sendo que o último, Canalha, foi lançado em 29 de janeiro deste ano de 2021 com regravação do rock do compositor Walter Franco (1945 – 2019), apresentado pelo autor em 1979 em festival promovido pela TV Tupi.

O trem azul (Lô Borges e Ronaldo Bastos, 1972), BR-3 (Antonio Adolfo e Tibério Gaspar, 1970), Canteiros (Fagner sobre poema de Cecília Meirelles, 1973), Pedaço de mim (Chico Buarque, 1978) e Eu quero é botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio, 1972) foram, pela ordem, os cinco singles anteriores do álbum.

O sétimo e ainda inédito single deverá ser Retalhos de cetim, samba de 1973 que se tornou o primeiro grande sucesso do cantor e compositor Benito Di Paula.

♪ Eis outras músicas já gravadas por Lobão para o álbum Canções de quarentena, mas ainda inéditas:

♪ Azul da cor do mar (Tim Maia, 1970)

♪ Na hora do almoço (Belchior, 1971)

♪ Tarde em Itapoã (Toquinho e Vinicius de Moraes, 1971)

♪ Balada do louco (Arnaldo Baptista e Rita Lee, 1972)

♪ Cais (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, 1972)

♪ Como vai você (Antonio Marcos e Mário Marcos, 1972)

♪ Hoje ainda é dia de rock (Zé Rodrix, 1972)

♪ Pérola negra (Luiz Melodia, 1971)

♪ Retalhos de cetim (Benito Di Paula, 1973)

♪ Os alquimistas estão chegando os alquimistas (Jorge Ben Jor, 1974)

Fonte: Mauro Ferreira g1.globo.com

Continue lendo
Publicidade

MAIS LIDAS

Enable Notifications    OK No thanks